duv-idoso-faixa.jpg
duv-idoso-logo.png

PATROCÍNIO

nestle-health-science_footer.png

Você sabe diferenciar envelhecimento e velhice?

A largada do processo de envelhecimento começa a correr a partir do nascimento, mas de fato, acontece após atingirmos nossa plenitude, entre o final da segunda e o começo da terceira década de vida, em decorrência da morte e renovação das células do nosso corpo.

São alterações complexas que envolvem as esferas biológicas, psicológicas e sociais. O mesmo pode ser dividido em senescência que se baseia nos efeitos naturais metabólicos do corpo, como cabelos brancos e surgimentos de rugas. E também em senilidade, o qual apresenta patologias que podem afetar a vida do idoso e seu entorno. Importante destacar que a possibilidade de um envelhecimento bem sucedido está relacionada aos hábitos e escolhas saudáveis ao longo da vida.

A velhice é um dos estágios do ciclo da vida humana e é considerada a partir da idade social que varia de acordo com o desenvolvimento de cada país, no Brasil que é um país subdesenvolvido as pessoas são consideradas idosas (pertencentes à velhice) quando possuem 60 anos ou mais. Essa classificação permite acesso aos direitos de acordo com o Manual de Direitos da Pessoa Idosa e alguns benefícios de extrema importância.

Por fim, é necessário ressaltar que o processo de envelhecimento foi um processo negado a muitos e que graças aos avanços tecnológicos em saúde e nas áreas sociais, podemos viver mais e com qualidade. Porém não basta viver mais e não viver bem. É importante a evolução sobre o autoconhecimento e as adaptações que precisaremos fazer ao longo dos anos, respeitando histórias, experiências, desejos e escolhas.

O acompanhamento por uma equipe multiprofissional de saúde ajuda neste processo, assim como o envelhecimento ativo e a construção e manutenção de uma rede de suporte familiar a social.

Cuide-se bem!

Fontes:

https://saude.abril.com.br/coluna/chegue-bem/afinal-quando-comecamos-a-envelhecer/

HAYFLICK, L. Como e por que envelhecemos. Rio de Janeiro: Campus, 1996. 366p.

LOPES, A. Os desafios da gerontologia no Brasil. Campinas – SP: Alínea, 2000.

PAPALÉO NETTO, M. Gerontologia: a velhice e o envelhecimento em visão globalizada.

São Paulo: Atheneu, 2002.

APOIO

logo-abg-branco.png
logo-sbgg.png
logo-ashoka-branco.png
logo-acirmesp-branco.png