top of page
duv-idoso-faixa.jpg
duv-idoso-logo.png

PATROCÍNIO

nestle-health-science_footer.png

Como lidar com os sentimentos ao cuidar de alguém com câncer – Parte 2


Situações extremas exigem muito de nós e a busca de equilíbrio pode ser menos natural, isto é, necessitar de atenção e estratégia para que aconteça. No último artigo conjunto Duv-Idoso e Oncoguia, falamos que compreender que quem cuida de alguém com câncer também precisa de cuidado é um primeiro passo (confira aqui se você ainda não leu).


Dissemos também que o autocuidado é uma trilha possível e trouxemos algumas ideias para inspirar que você siga nesta caminhada. A ideia neste texto é continuar explorando essas rotas para que você se sensibilize e possa se mobilizar para realizar coisas que são importantes para você também e, consequentemente, ajudarão seu ente querido que passa pela doença.


Um dos principais atalhos é pedir e aceitar ajuda de outras pessoas, o que nem sempre é fácil, mas, quando acontece, traz alívio, segurança e bem-estar com a carga um pouco mais leve e o tempo extra que você ganha para olhar para si.


Algo importante é estar preparado para algumas pessoas não ajudarem. Pelo menos, não logo no início ou de maneira intuitiva. Às vezes, a ajuda vem de pessoas e situações que você nem imaginava. Por outro lado, pessoas próximas podem não ser capazes de ajudá-lo por razões diversas: estar lidando com seus próprios problemas, não ter tempo, ter medo ou trauma relacionado ao câncer, crença de que é melhor manter distância, não saber como mostrar que se importam, não entender como as coisas realmente são difíceis para você ou como podem contribuir.


Se alguém em que você confia não estiver lhe dando a ajuda de que você precisa, converse com essa pessoa e explique mais claramente suas necessidades. É importante que você diga como se sente. Isso pode evitar que o ressentimento ou o estresse se acumulem e prejudiquem o relacionamento a longo prazo.


Se você achar que combina com seu perfil, juntar-se a um grupo de apoio em seu bairro, cidade ou mesmo de maneira virtual é outra possibilidade. Pessoas que passam por situações semelhantes à sua podem ajudá-lo a obter novos insights sobre o que está acontecendo, ideias sobre como lidar e saber que não está sozinho. Em um grupo de apoio, as pessoas podem falar sobre seus sentimentos, trocar conselhos e tentar ajudar outras pessoas que estão lidando com os mesmos tipos de problemas.


Saber mais sobre o câncer também ajuda quem cuida de alguém com a doença a sentir mais confiante. Entender mais a fundo a situação médica de seu ente querido, buscar informações fidedignas sobre seu tipo e estágio de câncer, por exemplo, pode ajudá-lo a saber o que esperar durante o tratamento, de que maneira os exames e procedimentos serão realizados, bem como os efeitos colaterais resultantes. Atenção: fuja das soluções milagrosas que infelizmente circulam na internet como fake news. Recomendações falsas podem prejudicar seriamente o paciente com câncer e o estado emocional de todos os envolvidos.


No próximo artigo conjunto, continuaremos falando sobre algumas outras estratégias para lidar com os sentimentos.


Conheça também o Espaço do Familiar, no site do Instituto Oncoguia e um Guia que pode ser muito útil para você.


Duv-Idoso e Oncoguia


Fontes:

Комментарии


APOIO

logo-abg-branco.png
logo-sbgg.png
logo-ashoka-branco.png
logo-acirmesp-branco.png
bottom of page