top of page
duv-idoso-faixa.jpg
duv-idoso-logo.png

PATROCÍNIO

nestle-health-science_footer.png

A Fisioterapia no tratamento de Câncer de Mama


Dia 13 de outubro foi comemorado o dia dos profissionais fisioterapeutas que é definida como uma ciência da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas, na atenção básica, média complexidade e alta complexidade.

Aproveitamos o dia do fisioterapeuta no mês de campanha outubro rosa, para juntar esses dois assuntos e falar sobre a importância da fisioterapia no tratamento do câncer de mama. No câncer de mama a fisioterapia atua principalmente no pré e pós operatório e desempenha um importante papel na prevenção e minimização dos efeitos adversos do tratamento, reduzindo os riscos de complicações e podendo restaurar a integridade cinético-funcional de órgãos e sistemas.

A fisioterapia precoce tem como objetivo prevenir complicações que podem ocorrer durante o processo de tratamento, seja cirúrgico, quimioterápico, entre outros. É fundamental iniciar um programa fisioterapêutico precocemente, quando as pacientes ainda não apresentam complicações, como limitações de movimentos, dor, linfedema e aderência cicatricial. No entanto, muitas são encaminhadas tardiamente, o que dificulta a probabilidade de recuperação.

No pós-operatório imediato, através de procedimentos como exercícios, alongamentos, terapia manual e relaxamentos, a cada sessão a intervenção fisioterapêutica busca identificar alterações neurológicas ocorridas durante o ato cirúrgico, presença de sintomas álgicos, edema linfático precoce e alterações na dinâmica respiratória. No decorrer do tratamento, objetiva-se a adequada recuperação funcional e, consequentemente, melhor qualidade de vida para a paciente

Sendo assim, o principal objetivo da fisioterapia no tratamento do câncer de mama é proporcionar a independência funcional da paciente, alívio da dor, diminuir os riscos de infecção, aumentar a mobilidade de membros superiores, reduzir a necessidade de medicamentos como analgésicos.

É importante manter o diálogo com as equipes de saúde, manter o engajamento do paciente para as sessões de fisioterapia durante todo o tratamento e entender a importância de cada etapa do tratamento oncológico.

FONTE:

https://www.scielo.br/j/hcsm/a/45chVmvcvLWKyQH5kHymDHn/?lang=pt

https://vencerocancer.org.br/dia-a-dia-do-paciente/atividade-fisica-bem-estar/a-fisioterapia-na-oncologia/


Comentários


APOIO

logo-abg-branco.png
logo-sbgg.png
logo-ashoka-branco.png
logo-acirmesp-branco.png
bottom of page