duv-idoso-faixa.jpg
duv-idoso-logo.png

PATROCÍNIO

nestle-health-science_footer.png

HIV em pessoas idosas



De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) cerca de 37,7 milhões de pessoas no mundo estão vivendo com o vírus da imunodeficiência humana (HIV). Segundo o último Boletim Epidemiológico sobre HIV/Aids, de 2020, o aumento de casos de HIV entre as pessoas idosas vem chamando a atenção. Algumas pessoas idosas têm apresentado comportamentos de risco, pois não praticam os cuidados em relação ao sexo seguro, possuem o hábito de não usar camisinha, pensam que não vão ser infectados nesta idade e aceitam o risco, já que há tratamento disponível.


O HIV/AIDS é uma infecção que ataca o sistema imunológico do corpo, especificamente os glóbulos brancos chamados células CD4. O HIV destrói essas células, enfraquecendo a capacidade do corpo de combater outras infecções e, sem tratamento, as pessoas se tornam mais suscetíveis a outras doenças graves, como tuberculose, infecções fúngicas, bacterianas e até alguns tipos de câncer.


A transmissão do vírus do HIV acontece, principalmente, por relações sexuais desprotegidas, incluindo sexo vaginal, anal e oral sem camisinha com a pessoa soropositiva, pelo compartilhamento de objetos não esterilizados que furam ou cortam e usados por mais de uma pessoa (como agulhas e alicates) e através da mãe soropositiva, sem tratamento, para o filho durante a gestação, parto ou amamentação.


O HIV/AIDS não tem cura e é tratado com terapia antirretroviral que consiste em um ou mais medicamentos que devem ser administrados todos os dias durante a vida da pessoa.


Apesar disso, o HIV é totalmente evitável, por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações. A identificação precoce com o teste rápido melhora as opções de tratamento e reduz o risco de transmissão a outras pessoas, incluindo parceiros sexuais. A forma mais eficaz de prevenção são os cuidados em relação ao sexo seguro que devem ser seguidos em qualquer idade, ou seja, o uso de preservativos em todas as relações sexuais (oral, vaginal e anal), já que o sexo é uma das maiores causas de infecção da doença.


Proteja-se e cuide-se bem!


Fontes:

http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2020/boletim-epidemiologico-hivaids-2020

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2021/07/14/hiv-na-terceira-idade-por-que-os-diagnosticos-estao-aumentando.htm


https://www.gov.br/ans/pt-br/assuntos/noticias/sobre-ans/dia-mundial-de-luta-contra-a-aids


https://www.who.int/health-topics/hiv-aids/#tab=tab_1





APOIO

logo-abg-branco.png
logo-sbgg.png
logo-ashoka-branco.png
logo-acirmesp-branco.png