duv-idoso-faixa.jpg
duv-idoso-logo.png

PATROCÍNIO

nestle-health-science_footer.png

Respeitar a população indígena é respeitar a nossa história



Segundo o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no Brasil, a população indígena é composta por 896.917 mil pessoas que ocupam mais de 4.200 terras indígenas, localizadas em 432 municípios de 24 estados, onde a maior parte se encontra na região amazônica e no nordeste brasileiro.


Os povos indígenas estão inseridos na sociedade moderna e, como todo cidadão, os indígenas possuem direitos e deveres, com destaque para suas peculiaridades, pois estes são amparados legalmente pela Constituição Federal de 1988, que prioriza a saúde como direito de todos. Essa Constituição é um marco na relação entre Estado e os povos indígenas, pois reconhece a organização social dos índios, línguas, costumes, crenças, tradições e os direitos originários sobre as terras que originalmente ocupam.


Sabemos que nas aldeias, os índios mais velhos são os responsáveis pela condução da tribo, sendo o pajé, o ancião, aquele que é a referência dos demais. Além disso, as comunidades indígenas não registram suas histórias de maneira ordenada e escrita, pois seus costumes, tradições e organização comunitária são repassados entre as gerações de maneira oral e na repetição de costumes e rituais.


Contar e ensinar as tradições, é papel dos mais velhos. Esta é uma grande diferença entre os índios e a comunidade não indígena: o papel dos mais velhos. Exemplificamos o respeito às pessoas idosas falando da sociedade oriental, quando temos o exemplo tupiniquim, nas nossas terras. Aliás, nas terras deles.


A pandemia da Covid-19, infelizmente, causou a morte de muitos indígenas idosos e colocou em risco a cultura, como línguas e festas tradicionais que podem se perder. São mais de 200 línguas indígenas faladas no Brasil, muitas em preservação pelos mais velhos.


Os índios idosos são considerados parte produtiva da comunidade, mantendo suas tarefas e participação nas atividades em prol da tribo. Não são, portanto, tratados como incapazes pelo grupo onde estão inseridos e seguem mantendo os idosos inserindo nas rotinas de serviços, considerando suas possibilidades de saúde. É um grande exemplo para a reflexão de nossa sociedade!


Fontes:


https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/governo-do-brasil-leva-atendimento-de-saude-a-indigenas


https://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/bitstream/bvs/1444/2/11379-26006-1-PB.pdf


https://atarde.uol.com.br/brasil/noticias/2162174-povos-indigenas-sao-o-grupo-prioritario-com-mais-atraso-na-vacinacao


https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/07/10/mortes-de-indigenas-idosos-por-covid-19-colocam-em-risco-linguas-e-festas-tradicionais-que-nao-podem-ser-resgatadas.ghtml

https://www.arianeangioletti.com/post/dia-do-indio-idoso

APOIO

logo-abg-branco.png
logo-sbgg.png
logo-ashoka-branco.png
logo-acirmesp-branco.png