duv-idoso-faixa.jpg
duv-idoso-logo.png

PATROCÍNIO

nestle-health-science_footer.png

O câncer pode ser considerado genético?




Todo câncer envolve alteração genética nas células afetadas, mas apenas algumas dessas alterações ocorrem por uma predisposição genética herdada.

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) afirma que 80 a 90% dos cânceres estão associados a causas externas, como mudanças provocadas no meio ambiente pelo próprio homem, má alimentação, vícios e sedentarismo.

Resumidamente, o câncer pode estar relacionado à alteração genética presente desde o nascimento, à exposição a agentes cancerígenos, como radiação, infecções e toxinas; ou a ambos. Ou seja, o câncer deve ser considerado, em sua maioria, uma questão ambiental pelos fatores culturais, naturais e geográficos que influenciam nos hábitos pessoais, estilo de vida e formação do indivíduo e geram maior probabilidade ou não do desenvolvimento de câncer e/ou de um determinado tipo de câncer.

Infelizmente não é possível evitar o surgimento do câncer, mas em alguns casos é possível tomar medidas redutoras de risco, como a realização de algumas cirurgias. Além disso, a identificação precoce de um tumor melhora as chances de cura de um paciente, e isso sim é possível.

O que deve ser sempre encorajado são as medidas de mudança de vida que reduzem o risco para o aparecimento de câncer em qualquer um de nós, sendo ou não portadores de uma alteração genética, como evitar o tabagismo, praticar atividade física e ter cuidados com a alimentação.

Fontes:

https://geneone.com.br/blog/cancer-hereditario/

https://institutodecancer.com.br/cancer-e-hereditario/

APOIO

logo-abg-branco.png
logo-sbgg.png
logo-ashoka-branco.png
logo-acirmesp-branco.png